Be wearable: a nova tendência da tecnologia

Que o smartphone passou a ser uma necessidade “fisiológica”, ninguém mais tem dúvidas, afinal já vemos por aí pesquisas que analisam quanto tempo conseguimos ficar desconectados da internet. Parece algo absurdo, mas se perguntarmos para algum usuário de smartphone qual é a última coisa que ele faz antes de dormir e qual é a primeira que ele faz ao acordar, a resposta será bem clara! Nada contra, afinal eu me enquadro nesta estatística dos hiperconectados. Rsrsrsrs

Comandada por gestos, voz e outra infinidade de sensores, alguns capazes até de captar variação elétrica de uma contração muscular e transformar isto numa linguagem que possa ser entendida por um computador, esta nova geração de devices normalmente surge em laboratórios de tecnologia e startups, como, por exemplo, os já conhecidos Google Glass e Nike FuelBand.

Com preço sugerido para desenvolvedores por 1500 dólares, mas que deve cair bastante para o consumidor final, a chegada do Google Glass ao mercado final ainda é uma incógnita. Sabe-se que alguns desenvolvedores já possuem o produto e que estão sendo apoiados pela Google para o desenvolvimento de novas ferramentas. Para os interessados, vale fazer o cadastro no site para ficar por dentro dos detalhes.

O FuelBand teve seu lançamento oficial no começo de 2012 e está agora na versão SE. Com o preço razoável de 149 dólares (isso nos EUA), este device é bem aceito pelos praticantes de atividade física, principalmente os que gostam de correr nas ruas. Há rumores também que a Nike FuelBand esteja trabalhando em conjunto com a Apple para lançamento de uma linha de smartwatch. Vamos aguardar.

Ainda para amantes da malhação, deve chegar ao mercado, em Abril de 2014, o canadense Push, que promete auxiliar aficcionados aos treinos de força, velocidade e explosão. Em seu site, o produto também é descrito como uma ferramenta para ajudar na melhora do resultado de atletas profissionais, pois permite que o técnico / preparador físico acompanhe todo o processo de treino do usuário.  Utilizando um site de crowdfunding, o Push já arrecadou o valor necessário para a conclusão do projeto em praticamente duas semanas. O pré-order do produto está vinculado ao site de crowdfunding Indiegogo.

Temos a também canadense Thalmic Labs, que promete, para o começo de 2014, o lançamento oficial do MYO, dispositivo parecido com uma pulseira capaz de captar o impulso elétrico gerado pela musculatura durante a contração e transformar estes dados em parâmetros que podem ser entendidos por outros equipamentos eletrônicos. Durante a fase de teste, este device se mostrou muito interessante controlando facilmente smartphones, computadores, drones e veículos militares.

Também em pré-order por 149 dólares (claro que já fizemos a nossa) o MYO empolga pela ampla possibilidade de aplicação, principalmente se pensarmos que podemos controlar alguma coisa apenas com gestos a uma certa distância. Agora é só esperar chegar e começar a diversão.

Pelo visto, esta nova tendência da tecnologia “vestível” começa a mostrar sua cara e não temos dúvida que ela vem para ficar e aumentar o grau de interação entre homens e máquinas!

Deixe seu comentário